Glitter e paetês: será que têm espaço num futuro sustentável?

Por Carina Caldas

O que esperar da moda pós-pandêmica? Exagero, brilho, lantejoulas, acompanhadas da vontade e possibilidade de sair de casa? Não necessariamente. Se, por um lado, as marcas têm apostado em modelos mais festivos, por outro, a Indústria passa a enfrentar um novo desafio em relação à sustentabilidade: o uso e descarte correto dos microplásticos.

Segundo dados da WGSN, empresa global de previsão de tendências de consumo e estilo de vida, glitter e paetês vêm perdendo espaço no vestuário feminino desde janeiro de 2020. Só em dezembro de 2021, o uso destes materiais teve uma queda de 30%.

Embora o isolamento social tenha sido determinante para o declínio
momentâneo dos brilhos- já que as recentes passarelas das semanas
de Moda nos provam o contrário-, a tendência em encontrar alternativas
sustentáveis ao glitter já é presente principalmente na indústria da
beleza, pioneira em enxergar os microplásticos como uma ameaça aos
oceanos, por exemplo.

Entre os compromissos de sustentabilidade apresentados pela Samsung, um dos projetos para este ano inclui uma parceria com a marca de moda Patagônia, no qual ambas empresas trabalharão de maneira efetiva para capturar microplásticos descartados pela indústria têxtil e lavanderias.
A sua marca, ou a marca que você consome, já busca alternativas sustentáveis para os brilhos?

Similar Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Gliter e Paetes

Por Carina Caldas - caricaricari

O que esperar da moda pós-pandêmica? Exagero, brilho, lantejoulas, acompanhadas da vontade e possibilidade de sair de casa? Não necessariamente. Se, por um lado, as marcas têm apostado em modelos mais festivos, por outro, a Indústria passa a enfrentar um novo desafio em relação à sustentabilidade: o uso e descarte correto dos microplásticos.

Segundo dados da WGSN, empresa global de previsão de tendências de consumo e estilo de vida, glitter e paetês vêm perdendo espaço no vestuário feminino desde janeiro de 2020. Só em dezembro de 2021, o uso destes materiais teve uma queda de 30%.
Embora o isolamento social tenha sido determinante para o declínio momentâneo dos brilhos- já que as recentes passarelas das semanas de Moda nos provam o contrário-, a tendência em encontrar alternativas sustentáveis ao glitter já é presente principalmente na Indústria da Beleza, pioneira em enxergar os microplásticos como uma ameaça aos oceanos, por exemplo.
Mas, como consumir gerando menor impacto? Comprar de fabricantes locais, tendo responsabilidade social, e de empresas com certificação ambiental já é um bom começo. Prefira produtos que não levem tanto tempo para se decompor no meio ambiente. Com essas poucas ações, já é possível fazer a diferença.